13 abr. 2024 21h30

Requiem

Cultura Dança

Sinopse

A ÚNICA CENSURA QUE DEVERIA EXISTIR É CENSURAR A CENSURA

Nova criação da Dança em Diálogos, no âmbito das celebrações dos 50 anos do 25 de abril de 1974

O sentido de Requiem clama por um justo repouso de quem é e do que pode ser permanentemente recordado. Já a madura Liberdade, é incansável na defesa da única censura que deveria existir, que é censurar a censura. Da apropriação deste pensamento de Julião Sarmento e também da sua imagética perturbadora, e partindo da obra Requiem de Lopes-Graça, são perspetivados corpos, movimentos, imagens e palavras inéditas de três escritores contemporâneos, que refletem memórias cruzadas no tempo e nas vivências de um pretérito que ainda encontra ecos no presente e no futuro. Defender a Liberdade é também contar histórias que atravessam as fronteiras entre o real e a ficção e onde a Dança e o vídeo se posicionam como veículos de total expressão livre.

 

ESPETÁCULO APOIADO PELA DGARTES/ RTCP

 

Ficha técnica

Direção Artística: Solange Melo e Fernando Duarte | Coreografia: Fernando Duarte | Música: Sonoplastia a partir da obra 'Requiem, pelas vítimas do fascismo em Portugal' de Fernando Lopes-Graça
Textos originais:
'Olhar pelo retrovisor, manter os olhos na estrada' de Cláudia Lucas Chéu
'corpo adentro (ou: onde me nascem as lágrimas)' de Ondjaki
'Dois braços à minha espera' de Elmano Sancho
Figurinos: José António Tenente
magem cinematográfica: Pedro Castanheira
Desenho de luz: VJ
Atelier de confeção de figurinos: Au Au Viés
Apoio à produção e ensaios: Maria Santos
Apoio à criação através de residência artística: Centro de Dança de Oeiras
Apoio à logistica: Artefirme
Apoio à comunicação: RHI_Arte Institute
Uma co-produção: Teatro José Lúcio da Silva; Cineteatro Louletano/Município de Loulé; Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão; Teatro Virgínia; Teatro Municipal de Bragança; Cine-Teatro de S. Pedro

Outras Informações

PÚBLICO-ALVO: M/12

DURAÇÃO: 1h (sem intervalo)